Cobertura Verde: Além de estética, uma necessidade para as grandes cidades

Vegetações têm sido usadas em telhados de milhares de anos, desde os jardins suspensos da Babilônia a telhados na Europa. Mas nos últimos 50 anos, esta prática evoluiu para o que hoje é chamado de telhados verdes, telhados vivos ou eco-telhados.

Os telhados verdes são aqueles em que foram plantadas vegetações específicas, utilizando uma metodologia de design sustentável. Eles são uma maneira de abordar a questão da construção sustentável e estão ganhando popularidade em todo o mundo.

cobertura verde academia de ciência da california

Tipos de Telhado Verde

Enquanto não existe uma classificação padrão para telhados verdes , eles podem ser divididos em dois tipos básicos :

• Coberturas vivas Intensivas – estas incorporaram plantas entre 1 a 15 metros de altura, incluindo arbustos e árvores. Elas exigem níveis de profundidade do solo para apoiá-los e uma cobertura preparada para receber elevadas cargas. Elas suportam um alto nível de diversidade de plantas e animais selvagens, mas requerem manutenção e irrigação. Eles não são adequados para edifícios mais domésticos.

• Telhados Vivos Extensivos – Estes incorporaram plantas rasteiras de 2 a 6 cm de altura. Eles exigem apenas alguns centímetros de solo para apoiá-los e só é necessário uma cobertura que sustente cargas baixas. Eles são de baixa manutenção e podem ser usados para qualquer tipo de telhado, incluindo galpões, garagens, casas, varandas, extensões, e também edifícios comerciais.

Ambos os tipos de cobertura verde pode ser utilizado para a construção de lajes planas ou telhados inclinados. Coberturas planas são as mais comuns e mais fáceis de criar e manter. Os telhados verdes podem ter uma inclinação de até 45 graus. Com esta inclinação, há questões que afetam o projeto de drenagem e perda de solo que precisa ser cuidadosamente considerada.

Como construir um telhado verde

Um sistema de telhado verde é composto de camadas que imitam processos naturais e também protegem o edifício e o telhado. Os componentes básicos são: uma camada impermeável, raiz membrana repelente, filtro de pano (para permitir que a água escorra, mas evita que o solo escape), cobertor de umidade (para garantir a retenção de água suficiente para a vida das plantas), sistema de drenagem (para drenar o excesso de água), o solo substrato, sementes e plantas. O solo é o meio de cultura e deve ser leve e livre de drenagem, mas também deve ser capaz de reter umidade suficiente para que as plantas sobrevivam. Agregados reciclados, tais como tijolo poroso esmagado são muitas vezes utilizados no substrato do solo, com a vantagem adicional de aumentar o seu índice de sustentabilidade.

Plantas adequadas para telhados verdes extensos são as vegetações rasteiras, que se espalham rápido, são tolerantes à seca, tem um sistema de raiz fibroso (para proteger as membranas do telhado), tem baixa necessidade de adição de nutrientes e baixa necessidade de manutenção.

Telhados vivos podem ser projetados para cultivar plantas nativas que possam estar ameaçadas de extinção , e assim incentivar uma ampla variedade de vida selvagem importantes, incluindo espécies de insetos , como borboletas, abelhas e besouros e pássaros locais.

Telhado verde

Benefícios de Telhados Verdes

Há uma série de benefícios sociais , econômicos e ambientais para os telhados verdes , incluindo:

• Aumentar a eficiência energética em casa – refrigeração no verão, isolamento no inverno

• A filtragem e limpeza de toxinas no ar e na água

• Reduzir as emissões de dióxido de carbono

• Reduz a probabilidade de inundações

• Reduzir as temperaturas urbanas e poluição associada

• Isolamento acústico

• Preservar e melhorar a biodiversidade

• Fornecimento de apelo estético e oportunidade de lazer em “espaço verde”

• Uso de materiais reciclados como agregados e folhas de plástico

O Movimento para Telhados Verdes

Os telhados verdes são um setor relativamente novo na indústria da construção, mas tornaram-se uma característica generalizada em toda a Europa. Eles são mais comuns na Alemanha, onde mais de 10 % das casas agora têm telhados verdes. Por causa de seus benefícios ambientais, alguns países europeus, como a Alemanha têm integrado de cobertura verde em seus regulamentos, e muitos outros fornecem subsídios e incentivos para estimular o seu desenvolvimento e manutenção.

Na Inglaterra, houve uma falta de apoio do governo e de orientação em coberturas de vida, o que tem dificultado a sua absorção. No entanto, os telhados verdes abordam diretamente  a agenda de Desenvolvimento Sustentável do Reino Unido e esta situação tende a mudar à medida que novas políticas e normas são desenvolvidos para apoiar o seu projeto e construção.

No Brasil, especificamente em Curitiba-PR, a proposta de lei que dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação do “Telhado Verde” em edificações foi aprovada pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação no dia 27/03/2013. A iniciativa é do vereador Professor Galdino (PSDB) e determina que projetos para edificações, residenciais ou não, com mais de três unidades agrupadas verticalmente, deverão prever sua construção -Veja mais em: http://revistasustentabilidade.com.br/direto-da-fonte-comissao-aprova-projeto-que-obriga-telhado-verde-em-curitiba/

Em São Paulo, um projeto de mesma natureza, proposta pela vereadora Sandra Tadeu (DEM), e que já foi aprovado em primeira votação, está parado aguardando ser sancionado.

Os telhados verdes estão prestes a se tornar uma opção cada vez mais importante para os construtores e projetistas, transformando lugares mortos e maçantes em espaços verdes de convivência.

Artigo traduzido e adaptado de www.sustainablebuild.co.uk/RoofPlants.html