Equipe investiga potencial do bambu para construção de Casas

Construção feita utilizando bambu

Pesquisadores do Centro de Materiais de Construção Inovadores da Universidade de Bath estão investigando o uso do bambu para construção de casas.

De acordo com o relato, o bambu possui grandes vantagens sobre outros materiais de construção como seu crescimento rápido, chegando a maturidade três vezes mais rápido que madeiras de lei, e é renomado por uma força comparável a do aço.

No entanto, existem algumas desvantagens que não permitem o uso muito difundido desse material. O bambu tem durabilidade limitada quando exposto à raios UV e a umidade, e suas paredes finas e diafragma interno vazio implicam em baixa resistência a incêndios.

A equipe de pesquisa, incluindo as universidades de Cambridge e Coventry, está trabalhando para desenvolver um entendimento sobre a anatomia e aplicações estruturais do bambu para que ele possa ser modificado para superar a essas limitações, enquanto mantém suas propriedades mecânicas únicas.

Trabalhando em colaboração com organizações Colombianas, incluindo a Universidade Nacional da Colômbia, Universidade dos Andes e a Sociedade de Bambu Colombiana, os pesquisadores das instituições do Reino Unido pretendem utilizar do conhecimento existente dos colombianos para explorar esse material na indústria de construções.

Hector Archila Santos, um pesquisador da Universidade de Bath diz que: “Nossa pesquisa em Bath está focada nas propriedades do bambu da espécie Guadua angustifólia Kunth, que é uma espécie lenhosa de crescimento rápido nativa das regiões tropicais americanas.”

“Nós investigamos diferentes técnicas de processamento usando uma forma achatada de bambu utilizada tradicionalmente como material revestidor de parede (bahareque). Para superarmos problemas causados pela variação de grossura e densidade do bambu, modificações termo-hidro-mecânicas foram aplicadas, produzindo superfícies chatas e regulares próprias para laminação. Paineis padronizados de laminação cruzadas de bambu são produzidos colando as faces com uma resina de alta-performance.”

“Nós mapeamos seções cruzadas de bambu para identificar componentes estruturais, como grupos vasculares rígidos. Nós usamos microscópios de transmissão de elétrons para identificar detalhes num nível celular e medimos as propriedades mecânicas do bambu por um teste de micro-dobramento utilizando espécimes de diferentes posições do tronco do bambu.”

“Pelo projeto nós exploramos opções para produção de compostos de alta-perfomance, incluindo a combinação de fibras de bambu com matrizes de bio-polímero e o reforço do bambu com outros compostos de fibra.”

A primeira publicação que contextualize o projeto da pesquisa de Bath foi publicada em “Construção em baixo carbono utilizando Bambu Guadua na Colombia” em Key Engineering Materials, e foi apresentado na Conferência de Pesquisa LimesNet que aconteceu em Bath.

Possíveis aplicações dos novos compostos resultantes desse programa de pesquisa incluem a incorporação em estruturas arquitetônicas, particularmente áreas como juntas e elementos de suporte em construções.

No futuro, a equipe irá avaliar o desempenho do bambu modificado para testar a utilidade desse material em projetos de construção geral.