Folhagens na parede de prédios podem ajudar no combate a poluição

O aumento do verde nas calçadas urbanas pode eliminar metade de pelo menos dois tipos de poluição do ar, especialmente nas ruas que se estendem por fileiras de prédios altos.

A nova descoberta sugere que, apenas plantando nos lugares certos, nós podemos limpar o ar urbano e reduzir ameaças relacionadas à saúde humana.

“Existe uma aplicação em potencial aqui para reduzir concentrações de poluição no ar que não havia sido considerada antes. Já considerávamos o uso de folhagens, mas não que haveria esse nível de efetividade.”

Thomas Pugh, cientista atmosférico no Instituto Tecnológico Karlsruhe, na Alemanha.

Por pelo menos 20 anos, sempre houve um grande interesse em entender como árvores podem absorver poluição atmosférica em áreas urbanas, disse Pugh. Mas a maioria dos estudos consideravam cidades ao todo, de uma ponta a outra e de cima para baixo, incluindo o ar a centenas de metros de altitude, onde os efeitos na saúde humana tornam-se menos relevantes.

Pugh, que conduziu um novo estudo enquanto estava na Universidade Lancaster no Reino Unido, decidiu focar nos canyons urbanos – ruas das cidades que são cercadas em ambos os lados por fileiras contínuas de grandes construções.

Estudos anteriores apontaram que canyons urbanos podem prender ar, permitindo que poluentes se acumulem quando o tráfego está pesado e a geometria da rua e as condições atmosféricas estiverem propensas.

Para conseguir uma noção no nível da rua de como a poluição atmosférica varia de uma avenida a outra, Pugh e seus colegas criaram um modelo em computador de um canyon urbano básico que leva em consideração a velocidade do vento, cobertura vegetal e outras variáveis simples.

O estudo focou em dois tipos de poluição do ar: dióxido de nitrogênio e material particulado medindo menos de 10 micrômetros de diâmetro. Ambos poluentes são prevalentes em cidades ao redor do mundo e ambos têm sido relacionados a doenças pulmonares e cardiovasculares.

No vento fraco, a simples adição de arbustos nas paredes das ruas da cidade reduziram concentrações no nível da rua de dióxido de nitrogênio em 40% e de material particulado em 60%, reportaram os pesquisadores no jornal Environment Science & Technology.

Museu de Branly em Paris, França.

O modelo sugere que árvores sejam menos úteis, porque elas podem prender a poluição embaixo de seus dosséis.

“O que nós achamos particularmente interessante desse trabalho é que nós podemos utilizá-lo para focar em ruas específicas, visando reduzir sua taxa de poluição efetivamente” disse Pugh.

Apesar de teorético e preliminar, as novas descobertas desafiam a forma tradicional de se pensar, disse Jonathan Foley, diretor do Instituto do Meio Ambiente da Universidade de Minnesota, Twin Cities.

Cientistas há muito tempo acreditavam que a vegetação poderia apenas remover pequenas quantidades de poluentes dos ares urbanos, mas o potencial de uso das folhagens para limpar o ar das cidades pode ser inesperadamente vasto.

“Isso nos dá outra ferramenta para lutar contra a poluição do ar urbano – uma grande causa de doenças e morte prematura ao redor do mundo. São ótimas notícias, especialmente porque plantações podem também dar outros grandes benefícios – como reduzir o efeito das ilhas de calor, reduzir a poluição sonora, dar um habitat a pássaros e outras criatura, além dos benefícios visuais. Todos saem ganhando.”

Jonathan Foley, diretor do Instituto do Meio Ambiente da Universidade de Minnesota, Twin Cities.

Artigo traduzido e adaptado de: http://news.discovery.com/earth/shrubbery-greatly-cuts-pollution-120914.html