Music School Louviers é o vencedor do WAN Awards 2012 em reutilização adaptativa

Apesar de enfrentar uma forte concorrência na forma do Haus Im Haus da Behnisch Architekten, a Escola de Música da Opus triunfou, sendo coroada pelos jurados como a construção vencedora da primeira edição do WAN Awards de Reutilização Adaptativa.

Descrito como “única” por Paul Williams, sócio fundador da Stanton Williams, ele comentou que “valeu a pena vir hoje só por este projeto”. Os jurados imediatamente se apaixonaram pela sensibilidade do esquema e também pela sua natureza assertiva.

Pauline Nee, chefe de edifícios históricos em João McAslan + Partners em particular, que perguntou: “Você não gostaria apenas de ir para lá e escutar alguém tocando saxofone?”.

Situado na Louviers rural na Normandia, o edifício original foi construído em 1646 como um mosteiro. Desde então foi recontruído como uma prisão e depois convertido numa escola de música.

À Opus 5 foi dada a tarefa de recriar a calma e majestade do mosteiro original e remover o estigma da antiga prisão, bem como aderir ao rigoroso cronograma e terreno limitado.

Para isso, os arquitetos usaram as paredes de alvenaria existentes para estender verticalmente, fazendo o enchimento do claustro acima do rio, substituindo o que estava faltando da estrutura original e indo além, criando um elemento de vidro brilhante que fica cercado por ruínas em cima do rio.

Enquanto fica acima das ruínas do original, um projeto perspicaz garantiu que esta linda caixa de vidro não ofuscasse ou sobrepujasse a ala principal do edifício. Na verdade, foi a sensibilidade e maturidade de sua colocação e relação com o antigo que impressionou os jurados.

Do detalhamento de como a extensão se encontra com o volume existente, até a fachada delicada que quase se confunde com a paisagem, enquanto continuando a ser uma intervenção extremamente contemporânea, preencheram todos os requisitos que os jurados estavam procurando.

Uma intervenção tão moderna em um ambiente rural poderia facilmente ter sido um fracasso, no entanto, os jurados acharam o equilíbrio perfeito. “Gosto da maneira como ele ainda tem a sensação de um mosteiro, belissimamente tranquilo” refletiu Pauline Nee.

John Assael da Assael Architecture achou o esquema requintado como um vencedor claro, explicando “Eu gosto do jeito que é tão assertivamente moderna. Mostra grande coragem e sensibilidade de como ele foi tratado; um concorrente excelente!”.

Enquanto outros projetos lutaram com a definição entre velho e novo e o que deve ou não ser contemporâneo, a Escola de Música da Louviers não luta; sua elegância de dia e de noite realmente melhora o ânimo.

Este foi um vencedor claro em todos os sentidos, um projeto belíssimo que se relacionou com grande sensibilidade com o mosteiro original e o rio. Como dito por Paul Williams, “A ambientação, a pureza, o diálogo que ele tem com você; tem todos os elementos que estávamos procurando”.